quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

2016 - ANO DO MACACO DE FOGO


Estamos entrando no ano-novo chinês.

A partir de 08 de fevereiro até 27 de janeiro de 2017 estaremos vibrando através da energia do Macaco de Fogo, sua cor é a vermelha.

As características do Macaco de Fogo são:

Ambição, atividade, esperteza, malícia e aventura acrescidos de charme, agressividade, ímpeto, ambição e autocrítica.


Ambição e luta serão as palavras de ordem nesse período, como tudo pro bem e pro mal.


Como pode haver muita prosperidade pode haver guerra também depende da semeadura de cada um.


Pode ser um ano de grandes mudanças desde que você consiga lidar com as situações usando paciência, persistência e escolher bem seus parceiros nos negócios e no amor.


O Macaco de fogo é impetuoso, impulsivo e curioso. Procure a harmonia e equilíbrio para não entrar em situações difíceis.


E estiver disposto a lutar pelos seus ideais e aproveitar a energia disponível para coisas do bem, pois se trata de um período auspicioso, de sorte e de bons fluídos.


Por ser um ano de colheita, vai depender do que você plantou e aproveite as oportunidades, mas lembre-se o Macaco de fogo é justo, não adianta querer colher o que não plantou.


Do mesmo modo que você pode prosperar, ter ganhos financeiros e afetivos, pode ser vítima de traições ou de perdas difíceis de serem superadas, por escolher investimentos (financeiros e afetivos) por impulso, impetuosidade e curiosidade.

Cuidado com ambição desenfreada, avareza e negócios escusos e paixões impulsivas, porque essa será a base pra o resultado que você irá obter no ano do Macaco de Fogo.

Na área amorosa da mesma forma que você pode viver sensações muito prazerosas, poderá vivenciar traições, depende do que plantou e vem plantando.

2016 é um ano propício a mega eventos, paixões avassaladoras, grandes negócios, novas amizades, viagens especialmente as de aventura, sucesso e realizações.
Feliz Ano do Macaco de Fogo

terça-feira, 29 de abril de 2014

APOIO AOS COLEGAS TRABALHADORES DO CAPS AD III DO COMPLEXO PRATES

São Paulo, 22 de abril de 2014. 
 
Carta aberta 
  • Considerando que o CAPS é fruto da reforma psiquiátrica, conforme lei 10216/2001, e que por isso deve conceber o sujeito em seu meio, sem isolar sua psicopatologia do contexto em que ele se encontra; 
  • Considerando os princípios do SUS (Sistema Único de Saúde), que entende o CAPS como o núcleo de uma nova clínica, produtora de autonomia, responsabilização e protagonismo; 
  • Considerando os princípios do SUAS (Sistema Único da Assistência Social), que incentiva o controle e monitoramento de seus equipamentos praticado pelos usuários dos serviços; 
  • Considerando os preceitos previstos pela RAPS (Rede de Atenção Psicossocial) de articulação de rede intra e intersetorial e também a definição de protagonismo enquanto "atividades que fomentem a participação de usuários e familiares nos processos de gestão dos serviços e da rede, como assembleias de serviço, participação em conselhos, conferências e congressos, a apropriação e a defesa de direitos, e a criação de formas associativas de organização";  
  • Considerando os objetivos das Irmãs Hospitaleirasque preconizam a oferta de saúde integral, com um caráter eminentemente humanizador, qualidade relacional e respeito pelos direitos da pessoa; 
  • Considerando os princípios da Redução de Danos, que relembra que o cuidado do usuário de drogas não considera apenas os danos que as substâncias causam a ele, mas também os danos causados pelo contexto sociocultural e político no qual ele se insere; 
  • Considerando que a população em situação de rua compõe um grupo de excluídos de direitos sociais e que tal exclusão favorece o uso problemático de drogas;  
Nós, trabalhadores do CAPS AD III Complexo Prates, entendemos ser de nossa competência o desenvolvimento de ações de empoderamento dos usuários. Trata-se do cumprimento de todos os princípios citados acima e do exercício de um papel que nos foi dado. Se o fazemos, não é por escolha pessoal ou institucional, mas atuação ética prevista por lei no desempenho profissional da equipe técnica de um CAPS.  
 
Quando nos posicionamos em relação ao não uso do jaleco - que nos distancia, desiguala e rotula; quando defendemos a nossa presença em conflitos de usuários com a GCM por acreditarmos que “quando a polícia entra, não precisamos sair"; quando incentivamos os usuários a ocupar espaços de luta pelos seus direitos; em todos esses casos, estamos reafirmando que esse fazer não é apenas dos trabalhadores que o praticam, mas das instituições que representam nesse exercício, visto que nenhuma defende o fim dos direitos humanos ou a criminalização da dependência química. 
 
Desta forma, reiteramos nosso repudio a qualquer inibição de ações relacionadas a esta prática, bem como nossa indignação frente a qualquer tipo de punição dispensada aos profissionais que as executam. Dentre tantas outras situações de represália, temos o exemplo recente do afastamento imposto da gerente deste serviço após apresentar postura condizente com os pressupostos elencados e com a opinião da equipe.   
 
Em nome do sofrimento causado pela não garantia do direito a voz, tanto de usuários como de trabalhadores, solicitamos apoio e incentivo para que as atividades aqui mencionadas sejam concretizadas e sustentadas pelos serviços que, idealmente, as propõem.  

Assinam esta carta, de forma unânime, os trabalhadores do CAPS AD III do Complexo Prates.  
A seguir iremos anunciando as entidades eu apoiam essa carta

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

CHUPETA E MAMADEIRA NO DESENVOLVIMENTO PSICOLÓGICO DA CRIANÇA



O desenvolvimento psicológico, segundo a teoria psicanalítica ocorre através de fases.
Ao chegar ao mundo a criança é portadora de um quantum de energia psíquica, que será utilizada para fazer este trabalho. Ao se desenvolver, esta energia se concentra em algumas partes do seu corpo com a função de intermediar as relações internas e externas.
Na fase inicial a energia vital está concentrada na região da boca e de todas ações relacionadas as principais são a sucção e a amamentação, a chamada fase oral, a qual nos deteremos neste artigo.
Cada fase representa um degrau a ser galgado, e quanto melhor for vivenciada, maior será a sua performance no nível seguinte. Após ter percorrido todos os degraus, a pessoa em sua maturidade irá recorrer às fases anteriores para superar obstáculos e elaborar questões emocionais, descendo assim aos níveis mais primitivos. Caso não tenham sido satisfatoriamente elaboradas as fases, a dificuldade em utilizá-los será maior.
É na fase oral que começa a ser constituído o Ego, que vem a ser a instância psíquica capaz de intermediar os desejos mais profundos e inconscientes com o meio ambiente, fazendo e criando possibilidades de relação com a sociedade, e então facilitar as relações psicossociais.
O Ego busca elaborar conflitos entre as necessidades psicológicas e as possibilidades sociais, daí a sua grande importância na formação da pessoa psicologicamente saudável.
Isto corresponde a dizer que se o aproveitamento do ser-humano ao percorrer as fases do desenvolvimento psicológico for suficientemente satisfatório, estará prevenindo doenças, transtornos psicológicos e dificuldades de relacionamentos futuros.
Para a construção da interação da subjetividade (mundo interior) com a objetividade (mundo exterior) a criança utiliza a relação com sua mãe.
No início desta relação, quando seu ego ainda não está pronto, a criança não consegue diferenciar-se da mãe tendo a sensação de que são uma mesma pessoa por não ter o que chamamos de consciência egóica. Ao pedir água diz:
Bruna quer água. Quando seu Ego estiver construído passará a dizer:
Mamãe, Eu quero água. Identificando a mãe no mundo exterior e trazendo uma necessidade interior, eu e ego são sinônimos, mostrando assim a consciência de si na relação com o outro.
As primeiras relações entre o bebe e a sociedade se dão através da sucção, tendo o seio da mãe um papel primordial.
É na oralidade que a criança se torna consciente de si e toma consciência do outro sendo a amamentação o mediador pelo qual ocorrem essas atividades psíquicas complexas.
Dez mil copos específicos para alimentar os recém-nascidos que por algum motivo não podem receber o leite de suas mães estão sendo distribuídos pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) nos hospitais que possuem banco de leite. Saiba mais sobre essa importante ação e compartilhe com outras pessoas: http://bit.ly/Xutoh4.
Se a amamentação é vital para o desenvolvimento nutricional da criança, o mesmo ocorre para o desenvolvimento emocional, e ambos para o desenvolvimento cognitivo da mesma.
É na amamentação que através do inconsciente, se veiculam conteúdos psíquicos entre a mãe e a criança e podem entrar em contato com seus sentimentos, desejos e percepções.
Durante a amamentação ocorre as primeiras experiências olfativas, auditivas, visuais e táteis, sendo um momento impar para estimulação perceptiva da criança.
Estas experiências são muito ricas e importantes para o desenvolvimento psicológico e cognitivo da criança proporcionando a sensação de proteção e cuidado.
As interferências externas à amamentação podem impedir que ocorram a troca de afetos positivos e tão pouco a elaboração dos negativos.
Em caso de impossibilidade de aleitamento materno, a mamadeira terá a mesma função do seio materno, sendo o primeiro mediador entre mundo interno e mundo externo da criança, possuindo toda a complexidade e importância já relacionados.
Para que o aleitamento por mamadeira seja eficiente devemos manter as mesmas condições utilizadas na amamentação através do seio. O contato da criança com corpo da mãe é importante para ela sentir-se protegida e segura.
Portanto a utilização de mamadeira deve ser feita respeitando a complexidade, a peculiaridade e a importância da amamentação, não devendo ser utilizada para alimentação simplesmente.
Se o uso da mamadeira possui uma importante indicação, a utilização de chupeta não possui nenhuma, ao contrário possui várias contra-indicações.
A linguagem verbal se constitui numa das melhores formas de comunicação do ser-humano e sua formação começa na primeira infância, justamente quando o uso de chupetas geralmente se inicia.
A primeira comunicação verbal da criança ocorre através do choro e na medida que a mãe no relacionamento com o bebe vai decodificando o significado de cada tipo de choro apresentado e o bebe codificando e dando significado a seu choro, o relacionamento entre ambos começa a ser estabelecido.
É através do choro que a criança comunica que está com fome, com sede, que esta suja, ou que está com algum desconforto. A partir desses primeiros passos na comunicação ocorre a evolução para os primeiros sorrisos, daí para as risadas, aos gritinhos, algumas sílabas vão surgindo, até que as primeiras palavras começam a aparecer. E assim o desenvolvimento de sua linguagem vai seguindo seu fluxo natural.
O leitor já deve estar deduzindo o tamanho do entrave no desenvolvimento da linguagem que o uso da chupeta pode representar, principalmente quando é utilizada para fazer com que a criança pare de chorar.
O uso da chupeta será um empecilho para o ritmo de desenvolvimento da linguagem, e um dificultador para que essa forma de comunicação ocorra.
O fato de que na fase oral, a forma de expressão preferencial da criança ser a verbal, é comum falarem usando a chupeta ao mesmo tempo, tamanha a familiaridade desenvolvida pela mesma em se comunicar com este obstáculo. Fatalmente a criança terá dificuldade de expressão verbal.
Outra contra-indicação diz respeito a um fenômeno psicológico desenvolvido por Winnicott, chamado objeto transicional. Este autor considera que entre a subjetividade e a objetividade existe um espaço acolhedor que atua como mediador entre o mundo interior da criança e o mundo exterior, com o objetivo de facilitar a superação das angústias inerentes ao processo de manter as realidades internas e externas separadas, ainda que inter-relacionadas.
Nesta área intermediária de repouso para o indivíduo ocorrem os chamados fenômenos transicionais, que são responsáveis por manter a criança livre de angústias, para que seu psiquismo possa transitar entre uma realidade e outra.
Como já mencionamos, o bebe acredita que a sua mãe é parte de si e exclusivamente sua, a angústia que enfrentaria caso não houvesse esse espaço tranqüilizador seria insuperável ao entrar em contato com tal realidade.
Os fenômenos transicionais ocorrem através de objetos eleitos pelo bebe com a função de facilitar esse trânsito. Os objetos transicionais adquirem o papel tranqüilizador na superação de suas frustrações e acompanham a sua vida com tal objetivo por um determinado tempo, até que seja transferido esse potencial para outro objeto e cada vez que for perdendo força será substituído por outro mais eficiente.
Esses objetos são os mais variados, cabendo aos pais e no futuro aos educadores apresentar às crianças objetos saudáveis e compatíveis com cada fase do seu desenvolvimento.
A chupeta por estar ligada a sucção na fase oral do desenvolvimento, facilmente sera escolhída como objeto transicional.
Os pais em pouco tempo ao perceberem esse potencial tranquilizador do objeto transicional passam a utilizá-la como panacéia para resolver todo e qualquer momento de ansiedade e angústia do bebe e muitas vezes deles mesmos.
Se ao término da amamentação ou para interrompê-la usa-se a chupeta , a mãe estará substituindo as carícias, a conversa, os toques e a atenção ao bebe.
No seu desenvolvimento o bebe, a criança, o adolescente e depois o adulto, terá dificuldade em conhecer diversas possibilidades para o enfrentamento de obstáculos e frustrações, por não terem experimentado várias formas de lidar com a angústia e ansiedade, vivenciando uma dependência da chupeta, muitas vezes até a adolescência.
Portanto, cuidado pais com as chupetas e mamadeiras.23/07/2009

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

30 horas está no executivo para ser sancionada. O PSICÓLOGO E CARGA HORÁRIA.

Há mais 50 anos foi regulamentada a profissão do Psicólogo, nesses anos avançamos muito no imaginário popular e na participação da sociedade. Somos reconhecidos profissionalmente pela população, a Psicologia é chamada a contribuir nas transformações sociais e ouvida nas questões importantes referente a qualidade de vida das pessoas. Os vários segmentos da Psicologia participam de forma efetiva nos grandes movimentos sociais, tais como o da Luta Antimanicomial, Crianças e Adolescentes, Efetivação do SUS e Implentação do SUAS, LGBTT entre muitos outros.
Realmente estamos de PARABÉNS e devemos nos orgulhar de tamanho avanço, que nos dá muito mais responsabilidade com a comunidade e o futuro do Brasil e sabemos que vamos contabilizar nos próximos anos mais participação e com isso mais responsabilidades.
Duas outras questões precisaremos enfrentar com grandeza, articulação e respeito à diversidade de pensamento;
Uma é a discussão do piso salarial do Psicólogo, que tramita no Congresso a passos de tartaruga e infelizmente não temos um Deputado ou Senador que milite pela questão com o mesmo empenho que militam por outras causas. Todavia em relação ao piso parece que temos consenso e acredito que com uma campanha de mobilização possamos pressionar os parlamentares. O ideal é que elegêssemos algum deputado da categoria, outras profissões utilizam tal estratégia e me parece ser muito eficaz;
Outra questão é a carga horária, aí não conseguimos nos entender. Uns defendem 30 horas semanais, outros 20.
Temos peculiaridades no exercício da Psicologia, não é possível defendermos carga horária única profissional, as entidades precisam ouvir os Psicólogos e fomentar uma grande discussão.
Enquanto em algumas especialidades o Psicólogo consegue exercer suas atividades por 30 horas em outras se torna insalubre ir além das 20.
É o caso de Psicólogos que atuam na área da saúde em hospitais, clínicas, caps e outros. Trabalhar nesta área numa mesma instituição mais de 20 horas pode provocar perda de qualidade no trabalho e provocar doenças.
Enquanto não tomamos uma posição os profissionais são contratados para trabalhar na maioria das vezes por 40 horas semanais. Sem contar que na atual situação não temos respaldo legal para qualquer reivindicação e negociação.
Embora seja contra a carga horária única para o Psicólogo considero um avanço a conquista das 30 horas semanais,.Estrategicamente o momento é de união para esta conquista, da mesma maneira como os colegas Assistentes Sociais obtiveram a carga horária sem a redução de salário.
Um grande abraço a todas Psicólogas e Psicólogos, Parabéns pelas conquistas e força para os próximos desafios.
UNIÃO PELA CARGA HORÁRIA DE 30 HORAS SEMANAIS SEM REDUÇÃO DE SALÁRIO.
 28/01/14(atualizado)

domingo, 5 de janeiro de 2014

Manifestação do Conselho Nacional de Saúde contra o ATO MÉDICO 2



         O Conselho Nacional de Saúde se manifesta preocupado com o fato do Projeto de Lei 6.126/13 estar pautado para votação na Câmara dos Deputados. O PL, que visa regulamentar aspectos da categoria dos profissionais de medicina, apesar de desconsiderar dispositivos do antigo PL do Ato Médico, continua ferindo “princípios constitucionais de igualdade ao propor que os atendimentos, as avaliações e diagnósticos sejam feitos de forma diferenciada entre pacientes da rede privada e pública do SUS”.

         O CNS pede que, antes da votação, seja aberto um diálogo transparente e aberto com a sociedade.

         Leia a nota do Conselho Nacional de Saúde 




sexta-feira, 15 de novembro de 2013

ACUPUNTURA E POLÍTICA

 Embora com apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), da  Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), Ministério da Saúde do Brasil, Conselhos Municipais, Estaduais e Nacional. A maioria das secretarias de Saúde estaduais e municipais de Saúde se encontram nas mãos de médicos corporativistas ou assediados por organizações médicas corporativistas. As vagas pra concursos públicos são criadas por essas câmaras ou assembleias
legislativas que contam também com uma bancada médica corporativista forte. Para enfrentarmos esses problemas que atrasam a evolução da Acupuntura Multiprofissional e a criação de vagas em concursos públicos temos que aumentar nossa participação política organizadamente. Tarefa difícil, porém possível.

NÃO VAMOS DAR TRÉGUA - ATÉ O ATO MÉDICO 2 SER ARQUIVADO

O ato médico 2 é pior ainda que o ato medico 1, conheça;
Muito estranho o pedido de retirada de pauta do ato médico 2 ter sido feito por um deputado da bancada do ato médico!! Esse deputado trabalhou incanssavelmente a favor do ato médico 1 e 2. Pergunta que não quer calar: Porque foi retirado de pauta? Temos que permanecer atentos e ativos, pressionando mandando emails, audiências, panfletagens e conversando nos gabinetes dos membros da CSSF, Qualquer distração pode ser perigosa. Os que dão certeza do arquivamento e com isso acabam desmobilizando os guerreiros contra o ato médico estão com a palavra.

Dia 20 de novembro em reunião da Frente Parlamentar das Práticas Integrativas de Saúde em Brasília conseguimos colocar como pauta prioritária da Frente o combate ao PL ato médico 2 com as seguintes ações pelos deputados que compõe a mesma;
Arquivamento imediato do PL;
Apresentação de emendas, inclusive enviamos à Frente as sugestões de emendas;
E em ultimo caso envio ao plenário da Câmara pra votação do PL.




CARTA DA SPPS AOS CONSELHOS PROFISSIONAIS E AO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE

São Paulo, 08 de outubro de 2013.

Aos Presidentes dos Conselhos Federais que compõem a Frente dos Conselhos das Profissões da Área da Saúde – FCPAS e Conselho Nacional de Saúde - CNS

Assunto: Posição dos Conselhos com relação ao Projeto de Lei 6126/2013

Senhores Presidentes,
A Sociedade Paulista Pró-Saúde - SPPS é uma entidade que congrega e representa os  profissionais e estudantes paulistas das profissões da área da saúde, regulamentadas ou não.
Atuamos junto à população do Estado de São Paulo organizando e participando de cinco passeatas com a presença de mais de 20.000 profissionais, três audiências públicas na Câmara Municipal de São Paulo, duas caravanas a Brasília, além da elaboração de manifestos e petições de mobilização contra o Projeto de Lei do Ato Médico (PL nº 268/2002 no Senado, PL nº 7.703/2006 na Câmara dos Deputados) e contra a Lei nº 12.834/2013, no período entre 18 de junho até 20 de agosto de 2013. Atentos às questões legais, sociais e preocupados com o sistema de saúde brasileiro, vimos a público manifestar nossa posição a respeito do Projeto de Lei 6126/2013, chamado de “Ato Médico 2”.
Declaramos que somos contrários ao Projeto do Ato Médico 2, considerando que:
1.     O referido PL fere o princípio constitucional da igualdade ao propor que os atendimentos, as avaliações e diagnósticos sejam feitos de forma diferenciada entre pacientes da rede privada e do Sistema Único de Saúde (SUS);
2.     Que ele mantém sob a exclusividade do profissional médico várias atividades, em especial o diagnóstico nosológico e prescrição terapêutica, mantendo ainda outros pontos do antigo PL do Ato Médico;
3.     Que o dito projeto desconsidera o dispositivo regimental do Congresso Nacional que prevê, após o veto de um projeto de lei, a apresentação de novo projeto sobre a mesma matéria apenas numa próxima sessão legislativa, a qual se iniciará em fevereiro de 2014;
Desta forma, solicitamos dessa entidade um posicionamento a respeito, visto que o referido projeto tramita em regime de urgência no Congresso Nacional, e se faz necessário – também em caráter emergencial - a mobilização da população e dos profissionais das áreas da saúde, informando e alertando a todos sobre os vícios originários do projeto, além de seus efeitos danosos a curto, médio e longo prazo sobre toda a população brasileira.
Iniciamos já com algumas ações, entre as quais uma petição pública (abaixo-assinado eletrônico) solicitando o arquivamento do PL, uma audiência pública na Câmara Municipal de São Paulo (a se realizar no dia 05 de dezembro de 2013), além de contatarmos vários deputados e senadores pedindo gestões no sentido de que seja arquivado o dito projeto de lei.

Atenciosamente,
Rafael Marmo
Presidente da Comissão constitutiva da SPPS

 Enquanto isso organizamos mais 2 grandes eventos em São Paulo, agora contra o ato médico 2;
Basta clicar para acessar os eventos: Ato Público e panfletagem contra o ato médico 2 dia 28 de novembro 17:30 hs Na Av Paulista nº 900

                                                               
                                                                   PANFLETO



https://www.facebook.com/events/461005994009018/?ref=3&ref_newsfeed_story_type=regular
E Audiência Pública contra o ato médico 2 na Câmara Municipal dia 5 de dezembro 19 hs
https://www.facebook.com/events/1390755281162830/?ref=22



Mais a petição pública pedindo o arquivamento do PL do ato médico 2
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2013N38086


Eventos ocorridos esse ano que nos levaram aos vetos ao ato médico e a manutenção dos mesmos:
Dia 31 de julho 18 horas-Marcha pela Saúde! A favor dos vetos, Vão livre do Masp.




https://www.facebook.com/events/198060353690162/

Dia 2 de agosto 18 horas-Lutar pra manter os vetos, Por uma Saúde digna (Audiência Pública), Câmara Municipal de São Paulo
https://www.facebook.com/events/525818374133946/

Dia 6 de agosto 10 horas-Marcha dos 100 000 a favor dos vetos, Brasília
https://www.facebook.com/events/513608952027544/

Dia 15 de agosto 19 horas na Câmara Municipal de São Paulo- Audiência Pública
https://www.facebook.com/events/503394166408081/

Dia 20 de agosto 10 horas no Congresso Nacional-II Marcha pela manutenção dos vetos
https://www.facebook.com/events/534889719891953/

E uma petição eletrônica com o intuito de enfrentar a próxima etapa que é a manutenção aos vetos do ato médico.
Vamos nos organizar colegas Profissionais de Saúde!!
Abaixo-assinado eletrônico a favor dos vetos
http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoAssinar.aspx?pi=P2013N42534

Links para você pedir a manutenção dos vetos:
Ouvidoria do Senado http://www.senado.gov.br/senado/ouvidoria/default.asp

Alô Senado 0800 612211

Fale com o senador http://www.senado.gov.br/senado/alosenado/default.asp?s=fs&area=internet&a=f

E-mail dos senadores E-mail Senadores: https://docs.google.com/document/d/1-yvBk9tjk_4iFY6n3-bXo3aa4Sj1OIkvTZeP7WiiJQE/edit?usp=sharing

Vamos todos, esse momento é muito importante de integração nacional. Somos 4 milhões em todo o Brasil.


PROFISSIONAIS ESTETICISTAS




quinta-feira, 14 de novembro de 2013

MEDICALIZAÇÃO DOS PROBLEMAS SOCIAIS E DA EDUCAÇÃO

Chega às crianças e adolescentes a transformação de problemas sociais e educacionais em doenças, com o objetivo de individualizar questões coletivas, controlar e silenciar a sociedade.
Van Gogh
Há algum tempo a biologização de questões psicológicas, são divulgadas como verdades científicas, resultando em intervenções invasivas nos indivíduos. Exemplo disso são o recorde de venda de medicações, especialmente as psicoativas.
A lógica biologizante leva a população a acreditar que o ser humano não passa de uma máquina, e basta trocar peças ou utilizar uma medicação que faça funcionar melhor as engrenagens e tudo ficará bem. Temos até a pílula da felicidade.
Relações familiares muitas vezes comprometidas com conflitos, dificuldade em assunção e adjudicação de funções de pai, mãe e filho, problemas em compatibilizar trabalho, lazer e vida familiar e questões sociais graves referentes a moradia, trabalho, saneamento,lazer e cultura, são individualizadas nos adultos através de patologias como ansiedades, medos, depressões, crises de pânico e insônia, com a proposta de serem controladas através de medicações psicoativas ao invés de luta pelos direitos básicos do homem.
Em relação educação, as vítimas da patologização de questões sociais comunitárias são as crianças e os adolescentes?
Salas de aulas lotadas, escolas com instalações em condições precárias, professores sem a devida valorização e motivação. Politicas educacionais voltadas a produtividade e massificação no lugar de uma pedagogia libertadora são questões reduzidas a patologias individuais denominadas como problemas de aprendizagem.
Pseudodoenças como "Transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade" ou "Dislexia", com prevalência de até 15% da população estudantil, passível de tratamento medicamentoso, mesmo na mais tenra idade e nos primeiros anos de escola.
Quem ganha com isso?
Van Gogh
Precisamos discutir políticas públicas na área de educação, reinvidincar ensino público de qualidade e não setenciar nossos filhos com diagnósticos e prognósticos, vamos garantir a singularidade de nossas crianças e adolescentes, para que tenham um futuro de sucesso e uma vida criativa.
Pais, profissionais de saúde e educação, conselhos profissionais, sindicatos, políticos, vários movimentos populares e pessoas físicas estão preocupados com esta situação, organizados no Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade, participe também.
Você pode conseguir maiores informações no site do CRPSP abaixo;
http://www.crpsp.org.br/portal/boletim/
Aproveite para assinar o Manifesto de Lançamento do "Fórum sobre a Medicalização da Educação e da Sociedade".
Para aprofundar a discussão leia:
Medicalização de Crianças e Adolescentes "conflitos silenciados pela redução de questões sociais a doenças de indivíduos" Conselho Regional de Psicologia SP - Editora Casa do Psicólogo.
Leia também: A Depressão e a Medicina Tradicional Chinesa em http://rafaelmarmo.blogspot.com.br/2011/01/depressao-e-medicina-tradicional.html#links
e o Girassol e o nosso Sol Interior em  http://rafaelmarmo.blogspot.com.br/2009/07/o-girassol-e-o-nosso-sol-interior.html#links

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

CONHEÇA A QUIROPRAXIA

O que é a Quiropraxia?
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Quiropraxia é uma profissão da saúde que lida com o diagnostico, tratamento e a prevenção das desordens do sistema neuro-músculo-esquelético e dos efeitos destas desordens na saúde em geral. Há uma ênfase em técnicas manuais, incluindo o ajuste e/ou a manipulação articular, com um enfoque particular nas subluxações.

Os conceitos e os princípios que distinguem e diferenciam a filosofia da Quiropraxia de outras profissões de saúde são de grande importância para a maioria dos quiropraxistas e influenciam profundamente a atitude e a abordagem destes em relação à atenção à saúde.

A relação entre a estrutura, particularmente a coluna vertebral e o sistema músculo-esquelético, e a função, especialmente coordenadas pelo sistema nervoso, constitui a essência da Quiropraxia e o seu enfoque para a restauração e preservação da saúde.

Hipoteticamente, conseqüências neurofisiológicas significativas podem ocorrer como resultado de distúrbios funcionais mecânicos da coluna vertebral, descritos pelos quiropraxistas através do termo subluxação ou complexo de subluxação.

O exercício da Quiropraxia enfatiza o tratamento conservador do sistema neuro-músculo-esquelético, sem o uso de medicamentos e procedimentos cirúrgicos. Causas e conseqüências biopsicossociais também são fatores significativos na abordagem do paciente. 
Do site da Associação Brasileira de Quiropraxia.
http://www.quiropraxia.org.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=35%3Ao-que-e-a-quiropraxia&catid=31%3Aquiropraxia&Itemid=90

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

CONHEÇA A RADIESTESIA GENÉTICA


A Radiestesia é um instrumento muito valioso para diagnóstico e tratamento tanto de pessoas, como animais, plantas, casas doentes, além de poder ser usada para controle de pragas, localizarem pessoas e objetos desaparecidos, enfim, existe uma vasta gama de possibilidades com a técnica.
A base da Radiestesia é a Telepatia, que já foi reconhecida como ciência nos EUA, onde o Radiestesista, após treino com muita disciplina e respeito, torna-se uma antena de captação das mais variadas frequências energéticas.

Radiestesia Genética tem este nome principalmente porque através dela consegue-se chegar aos DNAs Genético (transformação da matéria)  e o energético (transformação da freqüência mental da pessoa e interações energéticas de seus antepassados e vampiros)
Trata-se de uma técnica completa, com a qual pode-se acessar todas as possíveis causas de origens das alterações energéticas, indo desde uma causa física até desordens causadas por antepassados.
A técnica é diferenciada porque os conceitos e pesquisas são feitos em cima de causas que são esquecidas, por exemplo: Um caso de hepatite onde a pessoa nunca fez uso de bebida alcoólica, não tem história na família e a medicina ocidental não tem explicação e esta hepatite evolui para uma cirrose e câncer de fígado (os casos de câncer de fígado aumentam no Brasil a cada dia), pode-se por exemplo, ter uma causa de “vícios” por ela ter em casa garrafas de bebida alcoólica em uma disposição que formam “eixos de energia” passando pelo local onde ela dorme. Juntando-se a esse fato, pode ainda ter focos de energia de veios de água subterrâneos que somados aos eixos anteriores só agravam a doença.  

Este é um diagnóstico muito diferente do convencional, porém após estudo desta disposição das garrafas, podemos saber de onde vem esses focos, aniquilando o foco da doença e no caso dos veios de água subterrâneos a técnica também tem como neutralizar esta energia, tratando as casas doentes.

Atualmente é difícil ter imóveis saudáveis, pois a tecnologia avança a cada dia, as antenas de celular, os postes de alta tensão, as energias telúricas, que são os veios de água subterrâneos, a emissão de gases como Radônio, Urânio e outros, fraturas tectônicas, formas geométricas dos imóveis e dos seus vizinhos e outros fatores a serem analisados.
Assim como este diagnóstico “diferente” do que é habitual, a técnica da Radiestesia Genética pesquisa muitas outras origens, como o hábito ou o gosto por determinadas músicas que podem causar doenças emocionais.


Outra origem que pode ser pesquisada e tratada é a vibração dos antepassados, na forma de DNA Energético, que é diferente do Genético. O Energético é aquele onde a energia passa pelo DNA do ser humano e os descendentes vão “carregando” essas energias de seus antepassados, um  exemplo são as histórias que se repetem na família. 
Quando escutamos assim: “olha na minha família, meu bisavô era o rei do café, teve um império e faliu, o meu avô era rei da cana-de-açúcar teve um império e faliu, meu pai era o rei dos bares teve um império e faliu e eu agora tive um império de lojas de ferramentas e estou falindo, parece que a história se repete...” Aí está um caso de DNA energético onde se descobre qual o antepassado que iniciou este ciclo e tratá-lo.

E os Vampiros. Quem são os Vampiros??
Existem duas modalidades de vampiros, os comuns, que podem ser os amigos, colegas de trabalho, os pacientes, enfim todas as pessoas são tem um potencial para ser vampira, como também serem vampirizadas, dependendo da freqüência em que se encontra. A outra modalidade são os vampiros de laço de sangue ou seja familiares.
Podemos dizer que 99,8% são vampiros inconscientes e não sabem que estão buscando energia em
outra pessoa, e os 0,2% são os vampiros conscientes, aqueles que realmente querem vampirizar. 
Tatuagens, cicatrizes externas e internas poder causar uma estagnação de energia. Podemos tratar a tatuagem, corrigindo, ao invés de indicar que as retirem.


O uso de piercings, brincos, anéis, relógios, óculos, objetos de uso pessoal também podem provocar alguma alteração na energia,  por serem focos de energia intrusa e podem ser tratados.
Estamos caminhando para a “Era da Mente”. A evolução mental bate à nossa porta e através da Radiestesia Genética podemos atingir de maneira simples através de treino, respeito e disciplina .
A Radiestesia Genética trata orientando, mudando a freqüência energética através de gráficos próprios da técnica. Os seus terapeutas tratam pessoas, animais, plantas, casas e fazem seu auto tratamento. 03/11/11

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

A DEPRESSÃO E A MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

Vincent Van Gogh - Depressão
Há uma tendência de patologização de qualquer manifestação emocional e o resultado disso é a medicalização das questões afetivas.
Emocionalmente somos instáveis, uns dia temos um pouco mais de animo que outros, as vezes estamos mais eufóricos ou tristes que em outras situações, enfim nossa existência não é um evento programável e controlável, como alguns tentam divulgar. O mito da pílula da felicidade já caiu por terra, sabemos que é necessário uma vida harmoniosa e equilibrada para que seja saudável.
O ser-humano ao vivenciar momentos impactantes ou difíceis pode apresentar sintomas depressivos, que muitas vezes são parte de um evento existencial que promove a reestruturação mental e comportamental, principalmente quando a realidade não corresponde as suas expectativas.
A mulher pode apresentar algum sintoma depressivo no pós-parto ou na menopausa. Outra possibilidade é a idealização de determinadas situações, a ambição ou desejos incompatíveis com as possibilidades que podem causar algum tipo de depressão. Nas fases de transição, tais como adolescência, maturidade e envelhescência pode aparecer alguma sintomatologia depressiva. Situações de perda muitas vezes culminam com algum sintoma depressivo.
Tais exemplos não significam necessariamente doença e sim uma manifestação emocional de algum desconforto ou até de necessidade de melhora no estilo de vida. Portanto, vivenciar tais situações fortalece, ajuda amadurecer mudanças para uma vida mais saudável e a nossa capacidade de resiliência.
Em busca do equilíbrio do psiquismo, a Medicina Tradicional Chinesa estuda uma série de fatores emocionais e físicos que são faces de um processo dinâmico o qual estão inter-relacionados..
A integralidade da pessoa é um ponto muito importante para a Medicina Tradicional Chinesa, e a busca pelo equilíbrio físico, psicológico, espiritual e energético em vista de sua harmonia.
No estudo da depressão, é necessário detectarmos qual Zang-Fu (orgão e víscera) está em desequilíbrio, porém dependendo do nível em que se encontra, outros poderão ser atingidos, pois  os cinco elementos funcionam em um sistema integrado entre sí e relacionado com o Yin e o Yang.
Segundo a teoria dos Cinco Elementos a tristeza, sentimento característico da depressão, relaciona-se ao elemento Metal, debilitando diretamente ao Zang pulmão, com isto desabrigando a alma corpórea fator causal da confusão e apatia. Porém, os sentimentos relacionados aos Cinco Elementos  podem estar ligados aos sintomas da depressão.
Portanto, o diagnóstico enérgetico da depressão deve ser pautado na análise dos Cinco Elementos e do Yin-Yang.
cinco elementos
Devemos considerar além de dados referentes ao desenvolvimento da depressão, aos desequilíbrios energéticos e suas causas, também os hábitos alimentares, a alimentação a base de alimentos ricos em calorias e de pouco valor nutritivo favorece a ocorrência da depressão, costumes, rotina e a vida social.
Para a Medicina Tradicional Chinesa a depressão é entendida como uma baixa geral de energia circulante pelo organismo.
Vejamos como a depressão pode se manifestar em cada um dos cinco elementos:


• Depressão em Madeira:
O Fígado e a Vesícula Biliar são os acoplados deste elemento, e a emoção relacionada é a reatividade. Quando a energia de Madeira flui em harmonia  possibilita ao indivíduo as capacidades de planejamento, imaginação, criação e paciência.
O desequilíbrio em Madeira ocasiona a sensação de fracasso, a perda da motivação, a falta de objetivos, favorecendo a intolerância, o mau humor, a ira, a raiva contida, o ressentimento, a frustração, a indignação, a amargura, a irritação, sentimentos fortes e incontroláveis de frustração e apatia. Fisicamente pode ocorrer cansaço prolongado, enxaquecas, enrijecimento de músculos e tendões.


• Depressão em Fogo:
O Coração e o Intestino Delgado são os Zang-Fu acoplados deste elemento, e a emoção a eles relacionada é a alegria.
O Fogo em equilíbrio proporciona bons pensamentos, bons sentimentos, facilidade de comunicação e alegria de viver.
O indivíduo depressivo em Fogo, geralmente terá problemas afetivos ligados a rejeição e desapontamentos pessoais, a falta de alegria de viver e de inspiração, a pouco entusiasmo e a falta de interesse diante das circunstâncias vivenciadas. Fisicamente pode ocorrer má circulação, má digestão, sensação de frio e/ou calor, confusões de emoções e pensamentos.
A alegria em excesso causa euforia que dispersa o Qi (energia) do Coração tornando o indivíduo confuso e desorientado resultando em palidez, apatia, falta de vitalidade e alegria de viver.
Se os níveis de excitação forem excessivos podem provocar ansiedade que ascende o Fogo hiperestimulando a mente e desequilibrando o Qi do Coração.
A depressão em Fogo podem fazer com que os desejos não satisfeitos causem a frustração que dispersará
o Qi afetando a energia do Coração.


• Depressão em Terra:
Baço-Pâncreas e Estômago são os acoplados deste elemento, e a emoção correspondente é a reflexão.
Quando em desequilíbrio decorrente da depressão, observamos alteração do pensamento, transformado em paranoia  mudança na capacidade de reflexão, passando a ter idéias fixas, comportamentos obsessivos, seguidos de melancolia e falta de vitalidade. Fisicamente podem ocorrer alterações no peso (ganho ou perda), alteração dos ciclos alimentares e menstruais, problemas circulatórios, respiratórios ou intestinais.
A reflexão desequilibrada gera preocupação, que provoca alteração do apetite, desconforto abdominal, comprometendo a concentração e a memória, causando pensamentos ruminantes e não criativos.


• Depressão em Metal:
Pulmão e Intestino Grosso são os acoplados deste elemento, e a emoção correspondente é a tristeza.
As causas depressivas decorrem de perdas materiais, sensação de falta de proteção em relação a aspectos físicos e materiais, não aceitação do inevitável (morte ou perda material), pessimismo, nostalgia, melancolia e fragilidade emocional, apresentando choro freqüente, ferindo assim o Qi do Pulmão. Fisicamente o ritmo respiratório torna-se descontrolado, apresenta indisposição generalizada, diarréia ou prisão de ventre, problemas de garganta e esôfago.
A preocupação gera ansiedade e tristeza que vem a provocar deficiência de Qi do Pulmão, que nas mulheres, muitas vezes causa deficiência de Xue (sangue) e amenorreia.
O esgotamento do Qi do Pulmão pode também esgotar o Yin do Fígado gerando depressão e incapacidade de planejar a vida.


• Depressão em Água:
O Rim e a Bexiga são os Zang-Fu deste elemento e a emoção causada é o medo.
A ansiedade é necessária a sobrevivência e a manutenção da espécie humana. Em desequilíbrio a ansiedade dá lugar ao medo.
Quando em depressão, o medo contamina todo Xen (mente) impedindo o raciocínio, acabando com a sensação de bem-estar; causando fobias, apatia, baixa auto-estima, isolamento social e familiar e bloqueios emocionais. Fisicamente aparece palpitação, insônia, boca seca e transpiração noturna.
Por fim, segundo a Medicina Tradicional Chinesa o tratamento da depressão consiste no equilíbrio do Qi (energia) elementos através dos meridianos, tratando suas possíveis estagnações, excessos ou deficiências e trabalhando fatores relacionados aos hábitos alimentares e psicossociais que favorecem os desequilíbrios apresentados.


 A Acupuntura é um instrumento da Medicina Tradicional Chinesa, recentemente foi considerada Patrimônio Imaterial da Humanidade pela ONU, o que significa dizer, que sua preservação, de suas bases e o seu valor histórico são reconhecidos e protegidos pela Organização Mundial de Saúde. 
É um recurso muito poderoso no tratamento das depressões e sem efeitos colaterais, e com resultados surpreendentes e reconhecidos pela comunidade científica ocidental. 01/01/11.

GIRASSOL A FLOR DO NOSSO SOL INTERIOR


Vincent Van Gogh

O Girassol cujo nome científico é Helianthus Annus  (flor do sol), originária do Peru, além de cultivada pelo valor nutritivo de suas sementes, trata-se de uma das mais belas flores ornamentais.
Sua flor procura o Sol quando está sobre a linha do horizonte e o acompanha enquanto se move no céu.
O Girassol é composto por cerca de mil flores convivendo em perfeita harmonia numa verdadeira comunidade floral nos sugerindo a integração, a unidade e a cooperação.
Aeroporto Charles de Gaulle - Paris, França
Na terapia floral sua essência é util para pessoas cujas energias estão absorvidas em si mesmas e suas forças psíquicas estão centradas nos próprios problemas ou interesses.
O floral de sua flor é auxiliar no equilíbrio entre o ego e a coletividade despertando o sentimento de solidariedade e trabalho grupal.
A falta de sua energia provoca sintomatologia de hipocondria, distúrbios de comportamento, baixa auto-estima e  preocupação excessiva com questões menores.
Sua essência floral ajuda no equilíbrio entre o silêncio interno e externo, energiza o plexo solar despertando a Criatividade, o Sol Espiritual e a Luz Interior. 20/07/09.